Search
tera, 21 de agosto de 2018
  • :
  • :

Espírito Santo registra queda de homicídios, mas taxa ainda supera média nacional

Espírito Santo registra queda de homicídios, mas taxa ainda supera média nacional

O Espírito Santo é um dos sete estados brasileiros que tiveram as taxas de homicídios reduzidas entre os anos 2006 e 2016. O Estado passou do segundo lugar no ranking de assassinatos, em 2011, para a 19ª posição, em 2016. A média estadual, no entanto ainda é maior do que no restante do país.

As informações são do Atlas da Violência 2018, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e divulgado nesta terça-feira (05). De acordo com o levantamento, em dez anos a taxa de homicídio caiu 37,2% no Estado.

Ao todo, foram registradas sete quedas anuais consecutivas no Espírito Santo, entre 2010 e 2016. Nesse último ano, foram registrados 1.270 assassinatos em todo o Estado. Em 2009, o Espírito Santo chegou a ter 1.985 homicídios.

“Sempre soubemos que não mudaríamos aquele cenário do dia para a noite. Por isso houve investimentos, além das polícias, em construção de presídios, tirando os presos das delegacias. E agora demos um passo à frente em políticas sociais inovadoras, como o programa Ocupação Social, que oferece oportunidades para tirar o jovem da violência. A polícia tem um papel importante, mas sozinha não consegue superar esse desafio. E isso é resultado de muito trabalho ao longo da última década”, destacou o secretário estadual de Segurança Pública, Nylton Rodrigues.

Entretanto, o estudo mostra que a taxa de assassinatos no Espírito Santo ainda é maior do que a média nacional. O Estado registrou um índice de 32 homicídios a cada 100 mil habitantes em 2016, enquanto no Brasil essa taxa foi de 30,3.

Mortes por arma de fogo

O Atlas da Violência mostrou ainda que o Espírito Santo foi um dos estados brasileiros com a maior redução na taxa de homicídios provocados por armas de fogo. Segundo o levantamento, de 2006 a 2016, esse índice caiu 34,8%. A redução só foi maior nos estados de São Paulo (56,7%) e Rio de Janeiro (35,1%).

Além disso, o Espírito Santo passou da 3ª colocação no ranking dos estados com mais taxas de assassinatos por arma de fogo, em 2006, para a 13ª colocação, dez anos depois. “Em 2016, as nossas polícias apreenderam 3.236 armas. É importante esse foco para a prevenção de crimes”, frisou Nylton Rodrigues.

Entretanto, o estudo apontou também que a proporção de homicídios por arma de fogo no Espírito Santo cresceu 3,8% em dez anos. Em 2016, esse tipo de assassinato representou 76,2% do total.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Folhavitoria

COMENTÁRIOS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *