Search
sexta, 20 de setembro de 2019
  • :
  • :

Casal capixaba é investigado por fraude de 100 milhões de reais

Casal capixaba é investigado por fraude de 100 milhões de reais

Um casal de empresários capixabas, sócios de empresas que atuavam no comércio exterior, é suspeito de praticar lavagem de dinheiro de cerca de U$ 100 milhões em 1178 contratos de câmbio fraudulentos. A Operação Masqué foi realizada pela PRF, em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal, na manhã desta terça-feira (20).

A operação contou com a participação de 22 (vinte e dois) Policiais Federais e membros da Receita Federal, sendo realizado o cumprimento de 4 (quatro) mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais ligados aos investigados, em Vila Velha/ES e São Paulo/SP.

A Justiça Federal também determinou ainda o sequestro de imóveis, embarcações e valores, além da indisponibilidade de automóveis dos investigados.

 (Foto: Reprodução / PRF)

(Foto: Reprodução / PRF)

Caso
A operação policial é um desdobramento de investigação que identificou a prática de evasão de divisas entre os anos de 2009 e 2010.

Com a participação de funcionários de uma corretora de câmbio, o grupo então investigado promovia a saída de divisas para o exterior repetindo as mesmas Declarações de Importação e faturas em vários contratos de câmbios diferentes.

Dessa forma, usando uma mesma Declaração de Importação em vários contratos de câmbio, os investigados simulavam diversas importações usando a documentação referente a apenas uma operação regular. Os pagamentos repetidos serviam, na verdade, para mandar dinheiro ilegalmente para fora do país.

Com o objetivo de investigar a ocultação e lavagem dos valores obtidos com as atividades ilegais dos investigados, a Operação Masqué possibilitou a identificação de 76 imóveis e 2 embarcações registradas em nomes de “laranjas”, um patrimônio oculto que supera os R$ 40 milhões. Todos esses bens foram sequestrados por determinação judicial.

Segundo dados da Receita Federal do Brasil, as pessoas físicas e jurídicas investigadas possuem um débito já inscrito em dívida ativa no valor de R$ 894 milhões.

Além do casal de empresários, também é investigado um advogado que atua em São Paulo/SP, contratado para oferecer uma espécie de “proteção” contra a atuação de órgãos como a Receita Federal e a Polícia Federal, o qual já foi preso no ano de 2017 em ação do GAECO do estado de São Paulo, por fatos análogos aos investigados na

Investigados
Os investigados responderão pelos crimes de lavagem de capitais e por ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal. A
Pena é de 3 a 10 anos de reclusão mais uma multa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:Tribuna

COMENTÁRIOS
COMPARTILHE...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.