Search
sbado, 21 de setembro de 2019
  • :
  • :

Mesmo sem se enfrentarem times Capixabas são uma pedra no caminho de equipes Amazonense na serie D do Brasileiro

Mesmo sem se enfrentarem times Capixabas são uma pedra no caminho de equipes Amazonense na serie D do Brasileiro

“No meio do caminho tinha uma pedra”. O poema de Carlos Drummond de Andrade é atemporal e reflete o atual cenário de antagonismo entre dois Estados na Série D do Campeonato Brasileiro. Nessa analogia, pode-se dizer que o Amazonas é o caminho, enquanto o Espírito Santo é a pedra.

Duas temporadas após eliminar o Nacional-AM, em 2016, um clube capixaba voltou a ser algoz de amazonenses na quarta divisão: a vítima da vez foi o Fast. A pedra? O Vitória-ES. Com a virada sobre o Sobradinho-DF, o Vitoraço garantiu um lugar entre os 15 melhores segundos e tirou justamente o Tricolor de Aço do mata-mata. Entenda as contas no final da reportagem.

A eliminação, consolidada quase uma hora após o Rolo Compressor deixar o campo classificado, trouxe à tona outra queda tão dolorosa quanto: o Leão da Vila Municipal, em 2016, viu o Espírito Santo tomar sua vaga entre os 15 melhores segundos ao marcar o gol da vitória fora de casa contra o Caldense-MG, até então líder do grupo A13, com um gol aos 48 minutos do segundo tempo.

A queda do Fast

Apesar de derrotado, o Fast saiu do Ribeirão, em Boa Vista, com nove pontos, na vice-liderança do grupo A1, já que o Barcelona-RO havia perdido para o Estrelão, no Acre, e dentro do grupo dos 15 melhores segundos colocados.

Fast perdeu para São Raimundo-RR e foi eliminado — Foto: Lucas Luckezie
Fast perdeu para São Raimundo-RR e foi eliminado — Foto: Lucas Luckezie

Com a maioria das partidas finalizadas, parecia que tudo daria certo, e o Rolo Compressor avançaria de fase para encarar o Manaus. O problema é que Sobradinho-DF x Vitória-ES, em Brasília, começou 45 minutos depois por falta de equipe médica.

Quando o jogo do Fast acabou, o jogo no estádio Serra do Lago ainda estava no intervalo, e o time da casa vencia por 1 a 0. O Vitória empatou aos 36 do segundo tempo, mas precisaria virar o placar, visto que tinha desvantagem nos critérios de desempate. O gol salvador – e que eliminou o Fast – saiu aos 38 minutos, de pênalti. O Fast, nessa altura, só secava o adversário.

A queda do Nacional

O Nacional fez o dever de casa na última rodada ao vencer o Genus-RO por 2 a 1 no estádio da Colina. Somou oito pontos e saiu de campo como vice-líder do grupo A1 e classificado ao mata-mata.

Nacional caiu após vencer Genus em casa — Foto: Matheus Castro
Nacional caiu após vencer Genus em casa — Foto: Matheus Castro

O sentimento entre os jogadores era de dever cumprido, tanto que deram declarações otimistas e focadas no mata-mata. Mas a bola ainda rolava para Caldense-MG e Espírito Santo-ES em Poço de Caldas, Minas Gerais. Eraldo marcou o gol da vitória dos visitantes aos 48 do segundo tempo, deu a vaga ao Santão e deixou o Naça de fora.

Fonte: Globo Esporte AM

COMENTÁRIOS
COMPARTILHE...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.