Search
sexta, 20 de setembro de 2019
  • :
  • :

Coreia do Sul exorta o Japão a reconsiderar o uso da bandeira imperial

Coreia do Sul exorta o Japão a reconsiderar o uso da bandeira imperial

A Coréia do Sul pediu hoje (3) ao Japão que retroaja em sua posição de permitir o uso de sua antiga bandeira imperial, vista como um símbolo de seu militarismo passado, durante as Olimpíadas de Tóquio em 2020.

Um meio de comunicação japonês informou que o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio divulgou que não impediria os espectadores de usar uniformes que contenham a Bandeira do Sol Nascente, ou de trazer essas bandeiras ao aplaudir os eventos, alegando que o item já é amplamente utilizado no país.

“O Japão deve estar ciente de que a Bandeira do Sol Nascente é percebida por muitas de suas nações vizinhas como o símbolo de seu militarismo e imperialismo do passado. Precisa enfrentar humildemente essa história”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia, Kim In-chul, em uma entrevista coletiva.

“(O governo coreano) trabalhará com os ministérios relacionados para corrigir o problema”, acrescentou.

De acordo com o porta-voz, o uso da antiga bandeira imperial japonesa também viola códigos éticos uma vez que instrumentaliza um evento esportivo com mensagens políticas.

Funcionários do Comitê Olímpico e Esportivo da Coreia visitaram Tóquio no final do mês passado e se reuniram com seus colegas japoneses para apresentar uma queixa e exigir uma reversão de sua posição. Tóquio aparentemente se recusou a dar uma resposta definitiva.

Como parte dos esforços para resolver o problema, o comitê parlamentar da Coreia do Sul para cultura, esportes e turismo aprovou uma moção na semana passada pedindo que Tóquio proibisse o uso da bandeira durante as Olimpíadas.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Agência Brasil

COMENTÁRIOS
COMPARTILHE...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.